Principais causas da deficiência auditiva

A deficiência auditiva pode ser congênita ou adquirida

As principais causas da deficiência congênita são: hereditariedade, viroses maternas (rubéola , sarampo ), doenças tóxicas da gestante (sífilis, citomegalovírus, toxoplasmose), ingestão de medicamentos ototóxicos (que lesam o nervo auditivo) durante a gravidez.

A deficiência auditiva pode ser adquirida, quando existe uma predisposição genética (otosclerose), quando ocorre meningite, ingestão de remédios ototóxicos, exposição a sons impactantes (explosão) ou viroses, por exemplo.

Outra forma de classificar as causas potenciais da deficiência auditiva ou a ela associadas é a seguinte:

Causas pré-natais: a criança adquire a surdez através da mãe, no período de gestação, devido à presença destes fatores, entre outros:

  • desordens genéticas ou hereditárias;

  • causas relativas à consangüinidade;

  • causas relativas ao fator Rh;

  • causas relativas a doenças infecto-contagiosas, como a rubéola;

  • sífilis, citomegalovírus, toxoplasmose, herpes;

  • ingestão de remédios ototóxicos;

  • ingestão de drogas ou alcoolismo materno;

  • desnutrição/subnutrição/carências alimentares;

  • pressão alta;

  • diabete;

  • exposição à radiação.

Causas perinatais: quando a criança fica surda em decorrência de problemas no parto:

  • pré- maturidade, pós- maturidade, anóxia, fórceps;

  • infecção hospitalar.

Causas pós-natais: a criança fica surda em decorrência de problemas após seu nascimento:

  • meningite;

  • remédios ototóxicos, em excesso ou sem orientação médica;

  • sífilis adquirida;

  • sarampo, caxumba;

  • exposição contínua a ruídos ou sons muito altos;

  • traumatismos cranianos.

Devemos salientar que, atualmente, sabemos que são várias e diferenciadas as causas que originam a surdez, embora o conhecimento científico seja ainda insuficiente para identificar todas elas.
O diagnóstico médico permite, em muitos casos, que se identifique a causa mais provável da perda auditiva, mas infelizmente nem sempre isso é possível. A ocorrência de gestações e partos com histórico complicado, bem como a manifestação de doenças maternas no período próximo ao nascimento da criança podem inviabilizar a identificação dessa causa.
Por isso mesmo, em cerca de 50% dos casos, a origem da deficiência auditiva é atribuída a 'causas desconhecidas'. Quando se consegue descobrir a causa, o mais freqüente é que ela se deva a doenças hereditárias, rubéola materna e meningite.

Quais são as causas da surdez súbita?


Algumas pessoas apresentam perdas auditivas súbitas, elas quase sempre são unilaterais, mas em raras ocasiões podem atingir os dois ouvidos. Pressão no(s) ouvido(s) ou "estalos" são sintomas que podem indicar o aparecimento da surdez, não só a súbita, como a progressiva, que pode atingir níveis elevados em poucos dias. A surdez súbita é acompanhada de "estalos" intensos, podendo haver vertigem ao mesmo tempo. São causadoras desse problema:
  • Lesões na cóclea ou no nervo auditivo.

  • Formação de coágulos nos vasos que irrigam a cóclea, o que faz com que as células sensoriais morram por não receber sangue. Problema mais comum em pessoas com diabetes e hipertensão.

  • Processos infecciosos como sarampo, rubéola , herpes ou mesmo gripe comum.

  • Alergias, como reação a soros, vacinas, picadas de abelha ou comidas.

  • Tumor no nervo auditivo, causa de 10 % dos casos.

  • Auto-imunização, quando o mecanismo de defesa do organismo ataca a cóclea e mata as células como se fossem um corpo estranho.

  • Excesso de ruído (barulhos acima de 120 decibéis podem provocar falta de estabilidade no líquido que preenche a cóclea e alimenta as células sensoriais).

  • Infecção bacteriana no labirinto, que pode desencadear. hipersensibilidade e problemas de microcirculação.

  • Degeneração neurológica (em casos raros, a surdez súbita pode ser o primeiro sintoma de esclerose múltipla).

  • Batida na cabeça e fratura do osso temporal.

  • Fístula perilinfática, estrutura que liga a caixa do tímpano com a cóclea se rompe sem causa aparente e provoca perda do líquido que nutre as células sensoriais. À medida que as células morrem, a audição fica comprometida.

  • Obstrução por cera ou inflamações (otites)


Voltar para Index de Deficiência Auditiva

Compartilhe:

Busca

Busca do governo

* Estatísticas

Visitas: 31.567.830

* Realização:

logo da USP logo da PRCEU

* Fale Conosco

Entre em contato com o Programa USP Legal